Archive

Monthly Archives: April 2017


Luiz Camillo Osorio – Março de 2017

O que nos faz gostar de arte? Como ela atua na nossa formação? Qual a diferença e qual a relação entre gostar e conhecer? As novas tecnologias facilitam ou prejudicam nossa lida com as obras de arte? Faz algum tempo, enquanto visitava um grande museu e sua coleção, reparei que  muitas pessoas passavam o mesmo tempo lendo as etiquetas e vendo as obras. Uns 15 segundos em cada direção, sendo otimista. Entre uma coisa e outra sobrava tempo para um comentário/suspiro do tipo: Manet! Monet! Cézanne! Saber de quem se tratava, ser um nome familiar, tornava o olhar curiosamente ainda mais rápido, como se o reconhecimento liberasse a atenção em relação ao que estava sendo visto – no caso pinturas.

A presença das etiquetas, dos textos de apresentação e de comentários nas paredes é parte da função informativa e pedagógica dos museus. Acrescentar a estas estratégias os aplicativos para celulares ou tablets pode ser tido como um passo adiante. Vale a pena saber a técnica, a data e, eventualmente, o título dos trabalhos. Há textos de curadores que muitas vezes nos ajudam a perceber as obras e o partido conceitual da exposição, que aumentam nossa capacidade de diálogo com as obras e seus contextos histórico, cultural e político.

Read More

Advertisements